Domingo, 20 de agosto de 2017

Notícias

Denúncia de possível prática de assédio moral no Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART)



fonte: Sintrasef

A Secretaria de Políticas Públicas do Sintrasef recebeu mais uma denúncia de possível prática de assédio moral, dessa vez cometido contra nove servidores do Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART), em Cabo Frio, Região dos Lagos. Em documento encaminhado ao sindicato, um dos servidores relata as humilhações e constrangimentos sofridos em virtude do comportamento da chefia da casa. Segundo o relato, existem casos de servidores que chegaram a ser ameaçados de serem transferidos sumariamente pela direção.

Essa nova denúncia engrossa o caldo já espesso da mobilização que o Sintrasef vem fazendo no sentido de apurar as denúncias e unir os servidores contra este tipo de prática que certamente não se manifesta apenas nos órgãos da cultura.

Os diretores da Secretária têm se empenhado na resolução da situação e vêm tomando medidas junto a Secretaria Jurídica do Sindicato pedindo a instalação de sindicâncias para apurar os fatos e mesmo oferecendo denúncias ao Ministério Público Federal. Porém, de acordo com Ivanil Germano, diretor da Secretaria de Políticas Públicas do Sintrasef, “tudo indica que será a mobilização dos trabalhadores no sentido de pressionar a direção do Iphan a tomar as medidas cabíveis que vai acabar com essa situação de humilhação dos servidores públicos federais da base da cultura”.

INTIMAÇÃO FALSA – Alguns servidores receberam mensagens pelo correio eletrônico intimando-os a comparecer ao Ministério Público Federal para depor sobre a questão do assédio moral. De posse das mensagens, o diretor Vicente Oliveira do Carmo esteve no MPF que confirmou a suspeita de que se tratavam de falsas intimações. Imediatamente foi tudo protocolado no próprio MPF para que se investigue a origem das mensagens. Portanto, todos os servidores que receberem intimação para depor no caso dos assédios morais que o Sintrasef vem acompanhando devem procurar o sindicato a fim de confirmarem sua autenticidade.

Veja mais sobre esse assunto

O uso deste material é livre, contanto que seja respeitado o texto original e citada a fonte: www.assediomoral.org